31 Março, 2004

a afilhada mais linda do mundo!!!

Posted in ervilhinha às 17:54 por catarinia

Consegui!!! Aqui está a minha Daniela…

Anúncios

para a minha Ervilhinha

Posted in ervilhinha, musicalidades às 03:01 por catarinia

Já tens quase 15 dias e ainda não te dediquei uma das minhas catarinices… Desculpa!!! Mas queria que fosse perfeito, com direito a fotografia e tudo, e tive alguns precalços. Prometo que a fotografia há-de vir em breve!

Ainda não sabes, mas vais descobrir num instantinho, que aqui a madrinha é de extremos. Demorei um bocadinho a ir ter contigo por causa da minha Dharma, que resolveu ter uma gravidez de risco, mas assim que pude passei um fim de semana inteirinho contigo. E foi tão bom!!!

Olhar para ti é uma paz… Tão pequenina, frágil e vulnerável, mas com um ar tão calmo, tão sereno, que faz renascer a esperança em qualquer um. Apetece pegar-te a toda a hora, aconchegar-te, encher-te de beijos e não largar nunca! Encaixar-te no colo e ficar quietinha, só a olhar para ti a dormir, à espera que faças aquele sorrisinho que aquece o coração. E depois vem aquele sentimento inexplicável de amor que não vai acabar nunca, aconteça o que acontecer! Vamos sempre estar juntas, onde quer que eu esteja, seja em Lisboa, no Algarve ou do outro lado do Mundo. Porque tens a madrinha mais babada e orgulhosa de que há memória, uma madrinha que escolhe a Família.

E como tenho estado muito musical, aqui fica uma música perfeita para ti…

Some of you young folks been sayin’ to me, hey pops,
what do you mean what a wonderful world?
How bout all them walls all over the place?
Ya call them wonderful? And how bout hunger and pollution?
That ain’t so wonderful either.
But how bout listenin’ to old pops for a minute.
Seems to me it ain’t the world that’s so bad but what were doin’to it
And all I’m sayin’ is see what a wonderful world it would be,
if only we’d give it a chance.
Love baby, love. That’s the secret.
Yeah, if lots more of us loved each other
we’d solve lots more problems, and then this world would be a wonder.
That’s what old pops keeps sayin’.

I see trees of green, red roses too
I see them bloom for me and you
and I think to myself, what a wonderful world

I see skies of blue and clouds of white
the bright blessed day, the dark sacred night
and I think to myself, what a wonderful world

the colors of the rainbow, so pretty in the sky
are also on the faces of people going by
I see friends shaking hands, saying, "how do you do?"
they're really saying, "I love you"

I hear babies cry, I watch them grow
they'll learn much more, than I'll never know
and I think to myself, what a wonderful world

yes, I think to myself, what a wonderful world

George Weiss & Bob Thiele, para Louis Armstrong

30 Março, 2004

estrela do mar

Posted in musicalidades às 02:29 por catarinia

Numa noite em que o céu tinha um brilho mais forte
E em que o sono parecia disposto a não vir
Fui estender-me na praia, sózinho, ao relento
E ali longe do tempo, acabei por dormir

Acordei com o toque suave de um beijo
E uma cara sardenta encheu-me o olhar
Ainda meio a sonhar perguntei-lhe quem era
Ela riu-se e disse baixinho: estrela do mar

"Sou a estrela do mar só a ele obedeço
Só ele me conhece, só ele sabe quem sou
No princípio e no fim
Só a ele sou fiel e é ele quem me protege
Quando alguém quer à força
Ser dono de mim…"

Não sei se era maior o desejo ou o espanto
Só sei que por instantes deixei de pensar
Uma chama invisível incendiou-me o peito
Qualquer coisa impossível fez-me acreditar

Em silêncio trocámos segredos e abraços
Inscrevemos no espaço um novo alfabeto
Já passaram mil anos sobre o nosso encontro
Mas mil anos são pouco ou nada para estrela do mar

"Estrela do mar
Só a ele obedeço
Só ele me conhece, só ele sabe quem sou
No princípio e no fim
Só a ele sou fiel e é ele quem me protege
Quando alguém quer à força
Ser dono de mim…"

Jorge Palma, Asas e Penas (1984)

Desde que acordei que não consigo deixar de pensar nela… Por isso aqui fica.

23 Março, 2004

será uma ordem de despejo?

Posted in ao molho às 00:38 por catarinia

Hoje cheguei de manhã ao laboratório cheia de vontade de abrir estômagos e mais estômagos de camarão, e assim que olhei para a minha bancada, o que é que eu vi??? NADINHA!!!

A minha lupa não estava lá, o meu esguicho da água destilada não estava lá, e a minha tesoura pequenina, que me dava tanto jeito para abrir aqueles estômagos minúsculos, também não! E estar lá a cadeira, já foi uma grande benesse. E um outro esguicho, mas com álcool, só para enganar…

Isto é lamentável… Já uma pessoa não pode fazer uma folguinha. De quase dois meses, é verdade… Mas eu ía voltar!!! E com tanta vontade de analisar vomitado de camarão, que foi com grande pesar que deparei com aquele espectáculo de limpeza na minha bancada, pelo que decidi fingir que não tinha acontecido nada e voltar à tarde na esperança que tivesse passado. Grande desilusão… À tarde estava tudo na mesma!

De maneira que ocupei a lupa da Cheila, e abri três, eu repito, TRÊS estômagos. Foi o poder!!!

22 Março, 2004

é primavera!!!

Posted in la dolce vita às 02:33 por catarinia

Hoje foi o primeiro dia da Primavera!!! Bem, estou a escrever depois da meia-noite, por isso já foi ontem… Mas não interessa, o que interessa é que ela já cá está! E que bem que se está no Algarve na Primavera…

O sol está quentinho… Pode-se ir até à praia sem morrer de frio e sem vir de lá toda descabelada com a ventosga… Há florinhas por todo o lado… Os passarinhos cantam de contentes… O mundo emana fertilidade e parece mais bonito. E mais um bocadinho já é Verão outra vez!

E depois ainda há os banquetes de caracóis, a bela da jola e o indispensável tremocinho, de preferência numa explanada soalheira… Huuummmmmm……. Hoje a vida parece mais bonita! Não há dia melhor para decidir atacar o estágio com força. Venha o vomitado de camarão, que há sol do lado de fora da janela! E depois de acabar o dia de trabalho, ainda posso ir até à praia apanhar sol na moleirinha. 🙂

21 Março, 2004

já lá vão uns tempos

Posted in introspecções às 01:41 por catarinia

Já não escrevo aqui há muito tempo… O propósito desta página era poder escrever os meus pensamentos, e não perder o que escrevo. E não percebo porquê, tinha ideia de que podiam ficar só para mim, mesmo estando na Net. Há concerteza milhões de páginas na Net que nunca receberam uma única visita, porque é que esta haveria de ser diferente? Se eu não dissesse nada a ninguém, ninguém havia de cá vir, e podia escrever-me e descrever-me. Falar do que muito bem entendesse, sem ter a sensação de estar a ser invadida. Porque mesmo que estivesse, não sabia!

Mas não… Inexplicavelmente, fui descoberta! Logo 2 ou 3 dias depois de ter isto online. E, embora de certeza com as melhores intensões, a existência do meu Universo foi anunciada… Na mailling list da minha turma!!! E eu quero lá que a minha turma toda fique a par dos meus pensamentos mais meus?

Pois aqui o Universo foi desvirtuado… E como não me tem apetecido nada escrever sobre actualidades nem trivialidades, e também não me sinto muito confortável em escrever aqui sobre outras coisas, tenho votado o Universo um bocadinho ao ostracismo. Vou esperar pacientemente que a turma se esqueça que isto existe. Até pode acontecer que não passe por cá ninguém, mas quem sabe? Agora não me sinto confortável, prontes! Pode ser que mais tarde volte ao propósito inicial do meu Universo. Entretanto vou continuando a dedicar-me aos papeluchos, àqueles que acabo por perder. Mas que também têm uma vertente muito boa, que é de vez em quando, quando menos espero, encontrar alguns que pensava perdidos há muito tempo.

A ti não se aplica… Podes passar por cá quando quiseres, tens um lugarinho especial aqui no Universo. Senti-me melhor depois de falar contigo do que com a Srª Drª: uma menina com ar de Barbie, com cara de quem é mais nova do que eu, muito compenetrada em preencher um inquérito e em fazer um grande esforço para parecer simpática, não fosse eu sair dali a correr para ir cortar os pulsos! Lamentável… E não te liguei no outro dia porque não estavas cá. De qualquer maneira, também estava mais numa de arregaçar as calças, enfiar os pés na água e ir passeando, só eu, o mar e a lua cheia. Não é que não gostasse da companhia, mas não é muito a tua onda, pois não?

7 Março, 2004

do piorio…

Posted in desabafos às 00:11 por catarinia

Estou enfiada em casa num sábado à noite… Com um humor pior que o Deus me livre, embirrante e impertinente. Hoje nem eu tenho paciência para mim própria!

Vou à praia.

2 Março, 2004

ponto final ou reticências?

Posted in introspecções às 17:32 por catarinia

Este fim de semana foi a minha última reunião enquanto presidente da ANEBio… Sinto-me um bocadinho estranha. Imagino que seja mais ou menos o sentimento de uma mãe quando um filho sai de casa, custa a cortar o cordão umbilical…

Dediquei uma série de anos a esta associação, desde uma ideia megalómana e da carolice de caloira para organizar um simpósio europeu nos tempos idos de 1998, até que finalmente conseguimos constituir uma associação nacional de estudantes de Biologia, só em 2003. Nos entretantos apareceram e desapareceram Núcleos, conheci imensas pessoas, umas maravilhosas e verdadeiras inspirações que ficarão para sempre, outras nem tanto… Algumas ideias brilhantes, outras piores que o Deus me livre, muitas ilusões, quase tantas desilusões. Aprendi imenso e cresci como pessoa, e passados estes anos todos sinto quase como se a ANEBio fosse um bocadinho de mim. Custa-me desligar-me… Muitos mais do que estava à espera!

Ontem um amigo disse-me, em tom de brincadeira, que a solução era declarar-me presidente vitalícia. Não é nada disso!!! Não sei se quero ser alguma coisa para o resto da vida, muito menos presidente do que quer que seja. Quero realmente pôr um ponto final nesta fase associativa, acho que já dei demais de mim, e sem dúvida muito mais que a maioria. Mas não tenho aquele sentimento de dever cumprido… Acho que não fiz tudo o que podia, não consigo mobilizar as pessoas, sinto mesmo que a maioria das pessoas nem são mobilizáveis, que não se interessam. E isso deixa-me triste.

Mas também há uma coisa que me deixa descansada, que é a certeza de que pelo menos neste próximo ano a ANEBio fica em boas mãos. E que deixei bem claro que este afastamento não pretende ser uma rotura, vou sempre ajudar em tudo o que me seja possível para tornar a ANEBio numa associação de que possamos ter orgulho. Não deixo de ser uma estudante de Biologia.

É sem dúvida um ponto final, mas com algumas reticências…