18 Setembro, 2004

as ilusões e as desilusões…ainda das férias

Posted in desabafos às 06:10 por catarinia

Os meus companheiros de viajem fizeram-me uma visitinha e, ao que parece, não acharam muito bem o meu post sobre as férias. Bem… Mas quanta moralidade que para aqui vai!!! Deixou-me a pensar o que terá mudado desde o último dia das férias até hoje. Ou mesmo desde antes, desde o dia em que nos sentámos a “depurar” – o que só aconteceu porque os TRÊS chegámos à conclusão de que as coisas não estavam a correr bem. Pois para mim, não mudou nada…

Eu fui convidada a seguir determinado plano, que era ir viajando de carro até Barcelona, e conhecer o que estivesse pelo caminho. E aceitei, escolhi ir com vocês, porque gosto de vocês, vocês são meus amigos, e o plano era giro. Mudámos o plano nas vésperas, mas eu continuei a gostar de vocês, vocês continuaram a ser meus amigos, e o plano continuou a ser giro.

Eu tenho alguns problemas, é verdade. Mas entre eles não se encontra o facto de enganar os amigos. E isso foi o que vocês fizeram quando me convidaram para umas férias em viagem. Para mim, isso significa levantar cedo, calçar uns sapatos confortáveis, por a mochila com o farnel às costas e sair para conhecer tudo o que for possível. Eu NUNCA escondi isto de ninguém, e vocês NUNCA disseram nada em contrário. Até ao primeiro dia das férias… O que me fez sentir que tinha ido com o único propósito de dividir a gasolina. Tudo teria sido muito mais fácil se me tivessem dito logo à partida que não ía ser assim: eu teria ido fazer isso para outro lado, e vocês teriam tido as vossas férias sem qualquer tipo de stress.

Vocês acabaram por fazer as férias que quiseram, mas com uma chata amuada atrás à laia de apêndice; eu não fiz nem um enésimo do que tinha em expectativa, porque fui o apêndice nas vossas férias, perfeitamente dispensável, de tal maneira que nem sequer me foi permitido saber o caminho de volta para a minha própria casa. Mais tolerância que dez dias assim, acho difícil…

No fim, mais uma vez os TRÊS concordámos que as férias não tinham sido boas, e que não voltávamos a repetir a brincadeira. E porque é que havíamos de fingir agora que foram maravilhosas??? Não percebo porquê este drama todo.

E porque continuo a gostar de vocês, e porque vocês continuam a ser meus amigos, não li os comentários.

2 comentários

  1. Maria said,

    Olá, cheguei aqui por mera casualidade. Conhecia a existência dos blogs mas nunca tinha entrado em nenhum. O tempo que me resta no final do dia, é já pouco, não pode ser desperdiçado com conversas da "treta". Isto da Internet, dos blogs e outros que tais, é muito bonito, mas nada produtivo. Quando me falaram a primeira vez nos blogs, perguntei a mim mesma, que utilidade teria tal coisa e, depois de ver as horas a que estas coisas são escritas, pergunto-me ainda mais: a que horas se levantarão para ir trabalhar?
    A primeira coisa que li, foram as ilusões e as desilusões…ainda das férias, assim como os respectivos comentários, mais aqueles a que reportam e, rapidamente concluí que, tal como eu imaginava, há coisas mais importantes onde gastar o tempo.
    Quero contudo dizer-te que tive curiosidade em ler o que estava para trás e abri algumas das tuas catarinices, devo dizer-te que gostei do que li porque não nos conduzem a futilidades.
    Quero felicitar-te primeiro, pela forma como escreves e segundo, porque parecendo-me ainda uma jovem revelas, na forma das coisas que dizes, ser alguém que se interessa e não é alheio ao mundo que a rodeia.
    Parabéns também aos pais que te educaram.
    Em algumas das tuas catarinices, escreves sobre a tua vida privada, hoje, e ao mesmo tempo que eu, quantas mais pessoas terão acedido a ela??
    Se me permites… gostaria de dar-te um conselho.
    Não a exponhas desta maneira, sempre que necessites escrever, usa esse tal caderninho a que tu voltaste no dia 15.

    Com a facilidade com que escreves, porque não pensares num tema para escreves um livro – quem sabe um dia o possas publicar.

    Bom, como o descanso é sagrado para o equilibrio da mente e já vai a caminho da meia-noite, hoje fico por aqui, mas prometo tentar voltar numa próxima oportunidade.
    Desejo-te felicidades

  2. catarinia said,

    Benvinda ao Universo Catariniano, Maria! E muito obrigada pelas palavras tão simpáticas.
    Até ao episódio de sábado à noite, nunca me tinha sentido exposta ou invadida. Aqui o meu Universo tinha estado bem resguardado, ate porque as pessoas a quem falei dele contam-se pelos dedos de uma mão, e ainda sobram dedos. Talvez esta seja uma boa altura para rever o grau de intimidade que tenho com o meu Universo… Ou talvez não. Afinal, isso seria dar uma importância excessiva a um episódio que não a merece.
    E qual é a probabilidade de vir a conhecer quem aqui chega por acaso, como tu? Para essas pessoas, sou apenas mais uma que pensa como tantas outras, que escreve como tantas outras. Essa exposição não me assusta – no fundo, é uma exposição anónima.
    Quanto a escrever um livro… Nunca pensei nisso. Mas quem sabe um dia?
    Mais uma vez obrigada pela simpatia, e talvez até à próxima!


Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: