18 Março, 2009

quero um teletransporte, já!

Posted in ervilhinha às 21:28 por catarinia

Hoje, a afilhada mais linda do mundo – e também a mais talentosa e docinha e amorosa que, está bem de ver, é a minha – faz anos: 5 anos!

E eu a alguns milhares de kilómetros, que hoje parecem ser do outro lado do mundo, na outra ponta do Universo. Hoje, pela primeira vez, só lá pude estar durante o curto espaço de tempo, o nadinha que dura um telefonema.

E eu a dar os parabéns e muitos muitos muitos beijinhos, e ela a contar-me da festa na escola, e dos amiguinhos, e do bolo da Kitty, e da educadora que se esqueceu das velas; e eu a dizer que tenho um camião de saudades e ela que tem um ainda maior, e depois a despachar-me como quem tem imenso que brincar.

E eu a querer largar tudo e largar a correr, a querer estar lá, agora, já. Que um telefonema não sabe a nada para quem quer um abracinho apertado.

22 Setembro, 2006

parece que já foi há tanto tempo…

Posted in ervilhinha às 00:41 por catarinia

Era Verão a sério. Não o Verão que acaba hoje, com frio, chuva e muito vento, mas Verão a sério. Com cheiro a férias, sol, praia e muitas gargalhadas!

O sol brilhava, quentinho. Mas nem perto do calor que invade o coração ao ver-te chegar a correr, de braços abertos, para um abracinho apertado! E depois, uma semana de ti, aqui tão perto!

Tantas saudades que já tinha! E tu muito mais crescida, cheia de gracinhas novas e um dicionário completamente actualizado para conversar. Um mês sem te ver e estás enorme! Às vezes apetece-me que páres de crescer por um bocadinho, para não perder nada de ti. E depois, coisas de quem está longe mas gosta muito, fazemos maratonas juntas. Porque és o meu amor pequenino, a Ervilhinha do meu coração!

Parece que já foi há tanto tempo… Mas afinal não passou sequer uma semana.
Pelas saudades que já tenho, diria que foi há uma eternidade!

28 Junho, 2005

tão crescida!

Posted in ervilhinha às 23:47 por catarinia

Só passaram três meses, mas pareceu uma eternidade! O teu tempo passa muito mais depressa que o meu… Às vezes dá-me medo que nem me reconheças. Mas nem penses que eu vou deixar que isso aconteça! Aqui a madrinha está longe, mas sempre presente!

Entretanto estás muito mais crescida, muito mais segura e muito mais consciente de ti mesma. Cheia de gracinhas que fazem rebentar o orgulho e colam um sorrisinho idiota à cara… Se me deixasses, não parava de te apertar e de te cobrir de beijocas! Estás linda!!!

20 Março, 2005

sabe sempre a pouco

Posted in ervilhinha às 03:08 por catarinia

Quando estou contigo, nunca me apetece vir embora. Estás sempre tão mais crescida, tens sempre tantas novidades para mostrar, que fico com a sensação de que se passaram séculos desde a última vez, e que perdi esse tempo todo de ti.

Hoje de manhã acordei com a tua gargalhada. Nunca acordar tão cedo me soube tão bem! Tomei conta de ti a manhã quase toda, enquanto a tua mãe resmungava de sono e tratava de se arranjar, e o teu pai saiu para preparar a tua festa. Tinha tantas saudades de te apertar, de enfiar o nariz nesse teu pescocinho bem cheiroso e de te encher de beijocas! Eu sei que cada vez gostas menos que te aperte, mas eu estou a aprender a portar-me bem. A tua mãe também não me deixa, está sempre a dizer-me “Não a estrafegues!” É uma exagerada…

Desta vez achei-te muito crescida e muito activa! Mostraste-me os teus brinquedos todos, estivemos a ler uma revista cheia de senhores muito bonitos, e ainda me ensinaste como é que se vai da sala até à cozinha, a andar sem a ajuda de ninguém: a gente apoia-se nos móveis e anda de lado, com muito cuidadinho; quando os móveis acabam, pomos as mãos na parede; e no bocadinho que falta olhamos para uma pessoa crescida, fazemos um grande sorriso e esticamos uma mão – é certinho que ela nos ajuda a chegar ao fim. Depois na cozinha ainda atirámos uma lata de bolachas ao chão e deixámos a Heidi lamber as migalhas, essa parte também foi gira. Trabalho de equipa, antes que a tua mãe ralhasse comigo!

Depois chegou a hora da festa e estiveste toda a tarde muito simpática, apesar de toda a gente querer pegar em ti e não conseguires estar mais de dois minutos no mesmo colo. Estava muita gente na tua festa: os teus avós, os tios todos, muitos primos e muitos amigos. Como somos todos assim meio esgroviados, foi uma festa muito divertida! Não tenho fotografias porque me esqueci da minha máquina, mas a tua mãe prometeu fazer-me uma colecta.

No fim estavas muito cansada. A tua mãe e o teu pai também. Quando vim embora já estavas a dormir, e eles estavam quase, quase! Não me apetecia nada ter de vir embora. Nunca me apetece quando estou contigo. Para a semana prometo estar de volta!

18 Março, 2005

já lá vai um ano!

Posted in ervilhinha às 13:20 por catarinia

Muitos parabéns à minha Ervilhinha mais doce!

4 Janeiro, 2005

o ano da Ervilhinha!

Posted in ervilhinha às 04:29 por catarinia

Ela não é obra minha, é verdade. Mas torna o sol mais brilhante, o mar mais azul, o coração mais quente e os sorrisos mais radiantes. É a Daniela, a afilhada mais linda do Mundo, a estrela mais brilhante do meu 2004.

31 Março, 2004

a afilhada mais linda do mundo!!!

Posted in ervilhinha às 17:54 por catarinia

Consegui!!! Aqui está a minha Daniela…

para a minha Ervilhinha

Posted in ervilhinha, musicalidades às 03:01 por catarinia

Já tens quase 15 dias e ainda não te dediquei uma das minhas catarinices… Desculpa!!! Mas queria que fosse perfeito, com direito a fotografia e tudo, e tive alguns precalços. Prometo que a fotografia há-de vir em breve!

Ainda não sabes, mas vais descobrir num instantinho, que aqui a madrinha é de extremos. Demorei um bocadinho a ir ter contigo por causa da minha Dharma, que resolveu ter uma gravidez de risco, mas assim que pude passei um fim de semana inteirinho contigo. E foi tão bom!!!

Olhar para ti é uma paz… Tão pequenina, frágil e vulnerável, mas com um ar tão calmo, tão sereno, que faz renascer a esperança em qualquer um. Apetece pegar-te a toda a hora, aconchegar-te, encher-te de beijos e não largar nunca! Encaixar-te no colo e ficar quietinha, só a olhar para ti a dormir, à espera que faças aquele sorrisinho que aquece o coração. E depois vem aquele sentimento inexplicável de amor que não vai acabar nunca, aconteça o que acontecer! Vamos sempre estar juntas, onde quer que eu esteja, seja em Lisboa, no Algarve ou do outro lado do Mundo. Porque tens a madrinha mais babada e orgulhosa de que há memória, uma madrinha que escolhe a Família.

E como tenho estado muito musical, aqui fica uma música perfeita para ti…

Some of you young folks been sayin’ to me, hey pops,
what do you mean what a wonderful world?
How bout all them walls all over the place?
Ya call them wonderful? And how bout hunger and pollution?
That ain’t so wonderful either.
But how bout listenin’ to old pops for a minute.
Seems to me it ain’t the world that’s so bad but what were doin’to it
And all I’m sayin’ is see what a wonderful world it would be,
if only we’d give it a chance.
Love baby, love. That’s the secret.
Yeah, if lots more of us loved each other
we’d solve lots more problems, and then this world would be a wonder.
That’s what old pops keeps sayin’.

I see trees of green, red roses too
I see them bloom for me and you
and I think to myself, what a wonderful world

I see skies of blue and clouds of white
the bright blessed day, the dark sacred night
and I think to myself, what a wonderful world

the colors of the rainbow, so pretty in the sky
are also on the faces of people going by
I see friends shaking hands, saying, "how do you do?"
they're really saying, "I love you"

I hear babies cry, I watch them grow
they'll learn much more, than I'll never know
and I think to myself, what a wonderful world

yes, I think to myself, what a wonderful world

George Weiss & Bob Thiele, para Louis Armstrong

25 Fevereiro, 2004

de volta das mini-férias…

Posted in ervilhinha às 01:59 por catarinia

Abandonei a minha Dharma por cinco dias e fui visitar a Mãe e os Amiguinhos. Fui desopilar para a Metrópole, mas com um empreendimento bem definido: a remodelação do quarto da minha Ervilhinha. Estive mergulhada em tecidos, puxadores, bonecos, tintas todas coloridas e apanhei uma valente constipação, mas a minha afilhada vai ficar com o quarto mais giro de toooodo o Mundo!!! E com desenhos aqui da madrinha!

Para além disso, tornei-me finalmente numa cidadã automobilizada! Não é propriamente o carro com que sempre sonhei, mas tá aí para as curvas e é meu, todo meu, todos os dias e sem ter de depender de ninguém. É o poder!!! Mas prometo que vou ter cuidado com a minha pegada ecológica…

E pronto, amanhã acaba o vegetanço: vou inteirar-me do que se tem passado no mundo desde as mini-férias e vou voltar ao laboratório e a queimar pestana à lupa, para identificar o menú preferido dos meus camarões… camarões… e mais camarões…